III Encontro Ibérico de Enfermagem

Tuesday, November 22, 2005

WORKSHOP - “Diálogos e Silêncios – A Referênciação"



FASE 1 – FASE DE PLANEAMENTO

1 – Enquadramento
O projecto em questão surge no âmbito do III Encontro Ibérico de Enfermagem, organizado pela Secção Regional do Centro da Ordem dos Enfermeiros, e irá debruçar-se sobre a temática do Envelhecimento Saudável – Contributo dos Enfermeiros.
Antecedendo este encontro desenrolar-se-à uma semana dedicada ao idoso, que tem por base o tema supra citado e na qual, para além de outras actividades, nos propomos efectuar um workshop, intitulado “Diálogos e Silêncios – A Referênciação”.
A concretização deste projecto permitirá dar uma possível resposta a uma realidade: a por vezes inexistente comunicação entre valências de cuidados de saúde, nomeadamente na referenciação do utente de cuidados de enfermagem e as razões que a provocam.
Tendo em conta não só as necessidades de formação dos profissionais de saúde como também o debate de diferentes perspectivas acerca de diferentes vivências
(Cuidados de Saúde Primários e Cuidados de Saúde Diferenciados) e a busca não só de melhorias, como de algumas futuras soluções, no campo da prestação de cuidados, torna-se pertinente nesta semana dedicada ao idoso a discussão do tema em questão, visto ser uma das áreas, que condiciona o estilo de vida do utente, sendo este na maioria das vezes a pessoa idosa. Um dos grandes alvos da nossa atenção enquanto profissionais de saúde é esta faixa etária e à qual prestamos cuidados de saúde não só enquanto utentes institucionalizados, como também a residir no seu próprio meio, onde necessitam de acompanhamento e prestação directa de cuidados.
Realizar este workshop permite–nos não a busca de soluções imediatas, mas sim a partilha de experiências, o acesso a respostas que permitam manter, justificar e melhorar a referenciação do utente. Questionar “ Diálogos e Silêncios” na realidade em que vivemos, no sentido de obter melhorias e novas vertentes para a prestação de cuidados de enfermagem, uma vez que como profissionais de saúde compete-nos manter o diálogo, referindo as necessidades do utente de forma a esbater o silêncio que impede a comunicação.

2 – Objectivos
Ao realizar-se este projecto existem objectivos que pretendemos atingir, e que irão servir de base para a programação das actividades a serem realizadas.

ü Promover a identificação das perspectivas de cuidadores ao nível de Cuidados de Saúde Primários e Cuidados de Saúde Diferenciados em relação à referência de enfermagem do utente, tendo em conta a realidade vivida diariamente (Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE e Centro de Saúde);
ü Procurar estratégias para tentar reduzir o grau de não referenciação do utente, melhorando práticas existentes, de forma a promover o diálogo em detrimento do silêncio;
ü Aumentar a consciência da necessidade de acompanhamento domiciliar do utente de cuidados de enfermagem após a institucionalização;

3 – Responsáveis
A responsabilidade da realização deste projecto cabe a um grupo de Enfermeiros do Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE em a colaboração com a Secção Regional do Centro da Ordem dos Enfermeiros, com a moderação da Enfermeira Paula Sapeta e das Enfermeiras Dinamizadores: Enfermeira Cláudia Conceição – Centro Hospitalar Cova da Beira e Enfermeira Eugénia Lindeza – Centro de Saúde do Fundão.

4 - Calendarização:
O Workshop realizou-se no dia 4 de Outubro de 2005 (Terça-Feira) ás 20 Horas e 30 Minutos e terá lugar no anfiteatro do Centro Hospitalar Cova da Beira, EPE.

5- Desenvolvimento – Programação das actividades
Ao projectarmos algo é importante procedermos à sua programação e é através desta, que de forma lógica, progressiva e completa e seguindo um fio condutor que são atingidos os objectivos previamente formulados. Assim temos como actividades programadas as apresentadas no Quadro1.

6 – Comentário final
A implementação deste projecto culmina com realização do workshop propriamente dito. A procura de melhorias e possíveis soluções, para uma questão que se mantém através dos tempos, a comunicação entre serviços de saúde na tentativa de manter um contínuo para os cuidados de enfermagem será o foco deste workshop. Este aspecto é o que mais importância tem no desenvolvimento deste projecto, uma vez que este se vai realizar na semana dedicada ao idoso e pelo qual se tentarão obter estratégias na melhoria da qualidade de vida do mesmo.
A troca de experiências preferencia o enriquecimento mútuo e favorece o crescimento globalizante da prestação de cuidados de enfermagem.



FASE 2 – RELATÓRIO FINAL

O Workshop realizou no dia 4 de Outubro no Auditório do Hospital da Covilhã do Centro Hospitalar da Cova da Beira. Estiveram presentes como:
1) Organizadores
- Enfermeiro João Ramalhinho e Enfermeira Cristina Figueiredo
2) Dinamizadoras
- Enfermeiras Cláudia Conceição Mingote (Unidade de AVC/Hospital da Covilhã) e Eugénia Maria Amaral Lindeza (Centro de Saúde da Fundão)
3) Moderadora
- Enfermeira Paula Sapeta (Professora da Escola Superior de Saúde Dr Lopes Dias)
4) Participantes
- Estiveram presentes 36 enfermeiras(os) pertencentes ao Hospital da Covilhã (cerca de 28) e enfermeiros (as) do Centro de Saúde da Covilhã (cerca de 8).


1 - METODOLOGIA ADOPTADA

Organizámos os trabalhos em 3 momentos:
1) Apresentação por parte das duas enfermeiras dinamizadoras, Cláudia Mingote e Eugénia Lindeza, das duas perspectivas da Referenciação existente em Contexto Hospitalar e em Cuidados Continuados, respectivamente, num total de 20 min. cada uma;
2) Numa segunda etapa foi pedido aos presentes na plateia que se organizassem em 6 grupos, estando obrigatoriamente em cada grupo elementos do contexto hospitalar e de saúde na comunidade; o objectivo principal seria o de apresentarem e debaterem a situação actual, identificando pontos fortes e obstáculos ou dificuldade em cada um dos contextos, quanto à referenciação de doentes e à continuidade dos cuidados; procurando que no final enunciassem sugestões e propostas concretas;
3) Por fim, permitindo o debate livre das dificuldades e síntese das principais conclusões


2 - DIAGNÓSTICO FEITO:

A Enfª Claúdia Mingote apresentou de modo bastante completo e incisivo sobre como a referenciação é feita em contexto hospitalar. Assim destacou:
- A fundamentação e legitimidade da continuidade de cuidados, a necessidade de bons registos e particularmente da referenciação de enfermagem para garantir essa continuidade;
- O levantamento de modelos que existem nos diferentes serviços do CHCB (Hospital da Covilhã e do Fundão); sendo o mais utilizado o modelo de impresso 35;
- Identificou como pontos fortes da actual referenciação: a existência de um modelo de carta de alta; o facto de, alguns serviços, já indicarem nº de telefone para contactos, inclusive o enfermeiro de referência;
- Identificou como pontos fracos no actual sistema:
Ø o facto de a carta não ser preenchida por todos do mesmo modo, quer quanto ao conteúdo, quer quanto à forma, falta uniformidade;
Ø indicou que esta carta/informação é unidireccional, não há feed-back e informação de retorno;
Ø não há diálogo entre profissionais dos diferentes níveis de prestação de cuidados;
Ø nem todas as cartas chegam aos destinatários (doente/família e enfermeiro de família);
Ø nem todas as cartas traduzem a individualidade de cada doente
Ø a ausência de um sistema informático que permitisse o acesso de todos a uma mesma informação

A Enfª Eugénia Lindeza, apresentou de modo pormenorizado a Referenciação actualmente existente em Contexto de Cuidados Continuados (Centros de Saúde). Começou por fazer uma pequena análise histórica e conceptual, com a explicação do que é ser enfermeiro de cuidados de saúde primários, fazendo também uma revisão das últimas reformas da filosofia de cuidados de saúde primários e organização dos centros de saúde, em função dessas novas políticas e referindo os respectivos diplomas legais; relembrou os objectivos dos cuidados continuados e qual a população alvo destes mesmos cuidados.
- Identificou os pontos fortes e descreveu as áreas onde a referenciação tem maior tradição (psiquiatria e os cuidados no primeiro segmento da vida (Boletim de saúde da grávida, planeamento familiar, notícia de nascimento, saúde infantil, vacinas)
- Para ilustrar os pontos fracos exibiu excertos de algumas cartas, cujo conteúdo cifrado e com muitas abreviaturas, demonstrava alguns dos obstáculos a identificar;
Ø O não preenchimento do Guia do Diabético, do Boletim de cuidados no domicilio, de guias de orientação do doente hipertenso e outros;
Ø Não há tradição de enviar o doente para o hospital e referenciar para outros serviços, que não seja a urgência, onde são atendidos como tal, urgentes;
Ø Inexistência de uma linguagem comum;
Ø Conteúdo da carta insuficiente ou inexistente;
Ø Utilização de siglas, letra ilegível;
Ø Referenciação feita directa e unicamente através do doente ou da família
Ø Alta não programada, nem articulada com os profissionais desta área
Ø Falta de tempo e de recursos

O trabalho dos grupos resultou muito animado e, embora previstos 3min. para constituir o grupo e nomear o líder e 10 min. para debate, o tempo acabou por ser dilatado para o dobro, traduzindo claramente a imperiosa necessidade dos profissionais destas duas áreas se encontrarem mais frequentemente e de criarem canais de comunicação entre eles. Esta é uma das principais conclusões a extrair.

Deste debate valerá a pena destacar alguns dos aspectos mais focados:
Ø Identificados alguns casos exemplares como os de psiquiatria, de ortopedia, serviço de apoio domiciliário de enfermagem do HFundão, Unidade de AVC;
Ø Alguns enfermeiros dos centros de saúde afirmaram explicitamente que sentem desvalorizado o seu trabalho (“enfermeiros de 2ª”), por parte de doentes e familiares, mas também pelos colegas do hospital; reafirmando aqui a importância do seu trabalho e de algumas áreas do conhecimento onde se têm especializado;
Quanto a questões práticas o consenso é geral, há que dar particular atenção aos seguintes aspectos:
Ø Conteúdo da carta de alta e respectiva linguagem usada, sem uniformidade e ambígua;
Ø Ausência de outros contactos via telefone ou fax;
Ø Falta de tempo e de recursos humanos para referenciar;
Ø O serviço de urgência não faz referenciação dos doentes tratados (exemplo de doentes com pequenos traumatismo e suturas, com alta e sem nenhuma informação para a continuidade de cuidados);
Ø Nos centros de saúde, é a administrativa que atende as chamadas e nem sempre reencaminha para o profissional correcto);
Ø Dificuldade em conhecer qual o enfermeiro de família de cada doente (não está claramente definido), bem como do médico de família (já que nem todos têm);
Ø Desconhecimento de números de telefone ou outro contacto dos enfermeiros das diferentes extensões do centro de saúde, tornando-se urgente trocar entre serviços/instituições a lista de contactos (telefone ou fax)


3 - CONCLUSÕES FINAIS

As conclusões retiradas das apresentações feitas, respectivo diagnóstico elaborado pelas comunicadoras e pelo debate gerado no interior de cada grupo e do conjunto das propostas feitas por todos os presentes, resultam nas ideias e SUGESTÕES seguintes:
1) Assume-se esta como uma área problema que necessita ser debatida e dialogada entre pares de cada uma das áreas de prestações de cuidados (Hospitais e Centros de Saúde);
2) Todos reconheceram a necessidade de envolver as chefias intermédias, e admitem que um líder motivado pode garantir a dinamização de todo o trabalho da respectiva equipa/serviço, quanto a esta e outras matérias afim;
3) Necessidade de Criar parcerias concretas no terreno; numa primeira etapa constituindo um grupo mais pequeno (com elementos de centro de saúde e do hospital) e que estruturasse as primeiras orientações de mudança, no sentido de estabelecer canais de comunicação e formas de articulação, procurando:
a) Definir objectivos a curto, médio e longo prazo;
b) Operacionalizar regras na cooperação e na articulação;
c) Critérios de referenciação;
d) Definir formas de referenciação (carta, telefone, fax, sistema informático comum)
e) Conteúdo e Linguagem aferida, de preferência num modelo com grande similaridade, que permitisse, para além das dimensões físicas, clínicas, também a valorização de dimensões psicológica, familiares e sociais do doente, garantindo a individualidade de cada caso.
4) O grupo actual, formado pelas enfermeiras Cristina Figueiredo, Claúdia Mingote, Eugénia Lindeza e Paula Sapeta, mostrou disponibilidade em continuar o trabalho iniciado neste encontro; para além disso foi proposto e aceite pelos presentes repetir o Workshop daqui a 6 meses, procurando avaliar as mudanças entretanto operadas.

EM SUMA: todos reconhecem esta como uma área de desenvolvimento futuro, a imperiosa necessidade de criar uma rede de serviços, articulada, eficaz e que garanta a continuidade e optimização da qualidade de cuidados; cuja mudança resultará de igual modo na melhor gestão de recursos humanos e materiais e de maior satisfação dos próprios profissionais.

Friday, August 26, 2005

Prezados Cidadãos, Enfermeiros e Parceiros do III Encontro Ibérico de Enfermagem



Na qualidade de Presidente do Conselho Directivo Regional do Centro da Ordem dos Enfermeiros, saúdo todos os eventuais interessados no programa cientifico e cultural do III Encontro Ibérico de Enfermagem, organização conjunta com o Colégio Oficial de Enfermeria de Cáceres, sobre o tema "Envelhecimento Saudável".
A escolha da Covilhã e da Universidade da Beira Interior para esta iniciativa dos dias 7 e 8 de Outubro, foi acolhida prontamente pelas organizações e entidades locais e regionais, surge para permitir aos enfermeiros da região transfronteiriça a partilha de saberes, práticas e projectos que favoreçam as populações locais, em cuidados de enfermagem de qualidade e dinamizem a discussão de políticas de saúde adequada às necessidades.
Esta actividade, é uma das várias que durante uma semana, em Outubro a Beira Interior vai acolher. Exposições, debates, reuniões de trabalho, visitas, vão fazer parte da agenda da Bastonária da Ordem dos Enfermeiros e dos Corpos Directivos Regionais e Locais. Estando a agenda em construção na procura de estar mais perto das pessoas e Instituições, promovendo uma enfermagem com as pessoas pela saúde, nos próximos 60 dias são acolhidas propostas de actividades e iniciativas de Instituições e a nível individual.
Uma equipa local empenhada e os membros dos Órgãos Sociais vão estar em linha aberta consigo.
Para se inscrever no programa e participar como parceiro da semana, "Mais Perto de Si pelo Envelhecimento Saudável " ou para expressar a sua opinião ou propostas, contacte-nos!


O Presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Enfermeiros
Enf. Amílcar de Carvalho

ENFERMEROS/AS Y PARTICIPANTES EN EL III ENCUENTRO IBERICO DE ENFERMERIA


Cuando en el año 2000, la Sección Regional do Centro da Ordem y el Ilustre Colegio Oficial de Enfermería de Cáceres firmaron el acuerdo de colaboración, lo consideramos muy beneficioso por que suponía una profundización en la cooperación entre dos Organizaciones de Enfermeros de dos regiones transfronterizas que comparten además del territorio, problemas de toda índole que son comunes, tanto económicas como sociales, culturales, etc. Lo que entonces eras consideraciones hoy son realidades, aparte de los Encuentros, los intercambios han sido constantes en información diversa, revistas, publicaciones, situaciones profesionales presentes y planeamiento de situaciones futuras, por eso hoy, después de cinco años, las dos Organizaciones nos sentimos gratamente satisfechas de los resultados.


Para este III Encuentro, la temática general elegida, EL ENVEJECIMIENTO, creo que todos los Enfermeros/as somos conscientes del progresivo envejecimiento poblacional, y de las previsiones de futuro de mayor aumento, lo que sin duda supone mayor prevalencia de enfermedades crónicas e incapacidades y sobre esos cuidados, los Enfermeros/as tenemos mucho que decir y hacer.


Es por lo tanto, para mí como Presidente del Ilustre Colegio Oficial de Enfermería de Cáceres, un motivo más de satisfacción, tanto en lo personal como en lo institucional, compartir esos días en un sitio maravilloso como Covilhá y en un marco universitario debatiendo temas de interés presente y futuro de nuestra profesión con nuestros colegas Enfermeros/as portugueses.


Esperamos que, como siempre los resultados respondan a las expectativas y al interés que hemos puesto en ello la Ordem y el Colegio. Hasta entontes, un saludo muy cordial a toda la Enfermería portuguesa.


Fdo: Isidro Nevado Vital
Presidente.-

Thursday, August 25, 2005

Poster do encontro


Programa Cientifico


PROGRAMA CIENTIFICO
7 E 8 DE OUTUBRO DE 2005
COVILHÃ


LOCAL: AUDITÓRIO DA UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR




Dia 7 de Outubro

10h00m – Abertura do secretariado

10h30m – Conferências de Abertura:
Presidentes: Maria Augusta de Sousa – Bastonária da Ordem dos Enfermeiros
Pilar Fernandez - Vice Presidente del Consejo General de Enfermería de España
- O Envelhecimento Saudável – Visão das Ordens Profissionais de Enfermagem
Enf.º Amílcar de Carvalho – Presidente do CDR Centro da Ordem dos Enfermeiros
Don Isidro Nevado – Presidente Colegio Oficial de Enfermería de la Província de Cáceres

11h30m – Intervalo

12h00m – Sessão Solene de Abertura
13h30m – Intervalo para Almoço
14h30m – Envelhecimento – Diagnóstico da Situação, Prioridades, Recursos e Estratégias
Moderadores: Enf.º Manuel Oliveira
(Presidente do CER do Centro da Ordem
dos Enfermeiros)
Enf.ª Ines Marái Pérez Garcia
(SES Plasência)
Prelectores: Enf.º Carlos Manuel Rosa Almeida
(Hospital Amato Lusitano)
Enfª Julia Bermejo Rodriguez
(Servicio de Geriatría del Hosp.Virgen
de la Montaña del SES de Cáceres)
15h45m – Intervalo

16h00m – Competências dos Enfermeiros no Cuidado ao Idoso
Moderadores: Enfª. Luísa Brito
(Escola Superior de Enfermagem Ângelo da Fonseca)
Enf.ª Maria Massó
(SES A. Primária)

Prelectores: Enf.º Delfim Oliveira
(Presidente do CE da Ordem dos Enfermeiros)
Enfª Magdalena Perianes Ferreiro.
(Vocal de la Asociación de Geriatria en
Extremadura)

17h15m – Meios Técnicos de Apoio à Pessoa Idosa
Moderadores: Enfª. Margarida Filipe
(Presidente do CDR Norte da Ordem dos Enfermeiros)
Enf.º Geronimo Luengo
(SES A. Primária)
Prelectores: Enf.º Nelson Fernandes
Enfº-Antropólogo. José María
Jabato Martín
(Serviço de Urgência del Hosp. San Pedro de Alcantara)
Dia 8 de Outubro

Intervenções de Enfermagem – Experiencias e Resultados (1ª parte)
Moderadores: Enfª. Gabriela Ramalhinho
(Centro Hospitalar Cova da Beira)
Ines Marái Pérez Garcia
(SES Plasência)
09h30m – Cuidados à Pessoa Idosa em Contínuo
Prelectores: Enfª. Benedita Santos
(Comissão de Cuidados Gerais da Ordem dos Enfermeiros)
09h50m - Cuidados de Enfermagem na Pessoa com Dor
Prelector: Enfª Diana Jiménez Ciriero.
(Unidad del Cuidado del Dolor del SES de
Cáceres)
10h10m - Cuidados de Excelência na Comunidade
Prelector: Maria Conceição Pires Branco
(Centro de Saúde de Castelo Branco)

10h30m - Cuidados Paliativos- Uma Experiência
Prelector: Enfº Vicente Robles Alonso
(Unidad Cuidados Paliativos del SES en
Plasencia(Cáceres)

11h30m – Intervalo
Intervenções de Enfermagem – Experiencias e Resultados (2ª parte)

Moderadores: Enfª. Conceição Martins
(Centro Hospitalar Cova da Beira)
Juan Carlos Banda Corrales
(SES Cáceres)

11h45m –Gestão do Regime Terapêutico
Prelector: Enf.ª Isabel Lopes
(Hospitais da Universidade de Coimbra)

12h05m –Ventilação Mecânica Assistida no Domicilio
Prelector: Enfª Mª Antonia Gonzalez
Villegas(Unidad de Neumología del SES en el Hosp. San Pedro de Alcántara de Cáceres)

12h25m –Diálogo e Silêncios – A Referenciação
Prelector: Enf.º Renato António Pinto
(Unidade Local de Matosinhos)

13h00m – Encerramento dos Trabalhos

PROGRAMA SOCIAL E CULTURAL
(Para Participantes do Encontro e Acompanhantes)

Exposições
Momento Musical
Visitas (a divulgar)


COMISSÃO DE HONRA
Ministro da Saúde
Governador Civil de Castelo Branco
Vicepresidente de la Junta de Extremadura
Presidente do Comissão Coordenadora da Região Centro
Bastonária da Ordem dos Enfermeiros
Presidente del Consejo General de Enfermería de España
Presidente da Câmara Municipal da Covilhã
Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco
Presidente da Câmara Municipal de Guarda
Presidente da Câmara Municipal de Fundão
Presidente da Câmara Municipal de Belmonte
Presidente da Câmara Municipal de Penamacor
Consejero de Sanidad y Consumo de la Junta Extremadura
Consejera de Bienestar Social de la Junta Extremadura
Presidente do Ilustre Colegio Oficial de Enfermería de la Província de Cáceres
Presidente do Conselho Directivo Regional do Centro
Presidente do Conselho de Administração da Administração Regional de Saúde do Centro
Coordenador da Sub-Região de Saúde de Castelo Branco
Coordenador da Sub-Região de Saúde da Guarda
Reitor da Universidade da Beira Interior
Enfermeira Directora da Sub-Região de Saúde de Castelo Branco
Enfermeira Supervisora da Sub-Região de Saúde da Guarda
Presidente do Conselho Directivo da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias
Presidente do Conselho Directivo da Escola Superior de Saúde da Guarda
Presidente do C.A. Centro Hospitalar da Cova da Beira
Presidente do C.A. do Hospital Amato Lusitano
Enfermeiro Director do Centro Hospitalar da Cova da Beira
Enfermeiro Director do Hospital Amato Lusitano
Enfermeiro Director do Hospital Sousa Martins

INSCRIÇÕES
Enfermeiros : (Membros da Ordem dos Enfermeiros e Colegio Oficial de Enfermería de La Província de Cáceres): 30 € Estudantes: 20 € OutrosProfissionais:50 €
Inscrições até 30/09/05

Enviar Inscrições para:
Ordem dos Enfermeiros – Secção Regional do Centro Av. Bissaya Barreto nº 191 Cave 3000-076 Coimbra Telef: 239 487 810 Fax: 239 487 819 E.mail: srcentro@ordemenfermeiros.pt. ou para Colegio Oficial de Enfermeria de Cáceres – Avda. Isabel de Moctezuma, 4.1005 Cáceres Telf: 927 23 61 45; 927 62 96 29 Fax: 927 23 61 44 E-mail: coecaceres@terra.es

ORGANIZAÇÃO

Ordem dos Enfermeiros – Secção Regional do Centro
Ilustre Colegio Oficial de Enfermería de la Província de Cáceres

COMISSÃO CIENTÍFICA

Enf.º António Manuel Oliveira
Enf.º Carlos Manuel Rosa Almeida
Enf.º Carlos Manuel Leitão Maia
Enf.º Abílio Madeira Figueiredo
Enf.º António João Reis Rodrigues
Enfº Pedro José Rubio Rodriguez
Enfº Jesús Prieto Moreno
Enfº Jesús A. Gómez Sánchez

COMISSÃO ORGANIZADORA

Enf.º João José Carvalhão Ramalhinho
Enf.º Rui Jorge Neto Venãncio
Enf.ª Maria Cândida Macedo da Silva
Enf.º Helder Cesár Moreira Araújo
Enfª. Maria Clara Correia de Castro
Enf.º Francisco José Riberiro Henriques
Enfª. Ana Paula G. Antunes Sapeta
Enfº Manuel Tello Montero
EnfªJosefa Pirrongelli López
Enfª Isabel Jabato Martín
Enfª Carmen Mingo Canal
Enfº Mario Amor Villalobos

COMISSÃO ORGANIZADORA LOCAL :

Enfº Carlos Martins
Enfª Cristina Figueiredo
Enfª Elena Galego
Enfª Fernanda Martins
Enfº Hélder Araújo
Enfº. João Ramalhinho
Enfª.Rosa Carlos
Enf.º Tiago Poças


DESTINATÁRIOS
Enfermeiros (Membros da Ordem dos Enfermeiros e Colegio Oficial de Enfermería de La Província de Cáceres); Alunos de Enfermagem; outros Profissionais de Saúde e Comunidade em Geral

PATROCÍNIOS

Câmara Municipal da Covilhã
Universidade da Beira Interior
Centro Hospitalar Cova da Beira

APOIO
Sub-Região de Saúde de Castelo Branco
Ilustre Colegio Oficial de Enfermería de la Província de Cáceres
Ordem dos Enfermeiros
Secção Regional do CentroAMA

Objectivos e Áreas Temáticas

OBJECTIVOS

§ Aprofundar a problemática do Envelhecimento Saudável;
§ Promover iniciativas de formação sobre cuidados de enfermagem/ gerontológicos;
§ Debater as necessidades em cuidados de enfermagem e de outros meios de apoio a pessoa idosa das populações abrangidas pela região transfronteiriça;
§ Ampliar as ligações interinstitucionais com as entidades cientificas, autárquicas, culturais, associativas e empresariais da Beira Interior
.

ÁREAS TEMÁTICAS

§ O Envelhecimento Saudável
§ Envelhecimento – Diagnóstico da Situação, Prioridades, Recursos e Estratégias
§ Competências dos Enfermeiros no Cuidado ao Idoso
§ Meios Técnicos de Apoio à Pessoa Idosa
§ Intervenções de Enfermagem com a Pessoa Idosa

Ficha de Inscrição para o III Encontro Ibérico de Enfermagem

III ENCONTRO IBÉRICO DE ENFERMAGEM – COVILHÃ, 7 E 8 DE OUTUBRO DE 2005


Nome________________________________________________________ N.º de Membro _______________
Morada_______________________________________________________Código Postal________________ Localidade_________________Telf/Telm _____________E - mail___________Instituição__________________
Enfermeiros (Membros da Ordem dos Enfermeiros e Colegio Oficial de Enfermería de La Província de Cáceres): 30 € Estudantes: 20 € Outros Profissionais: 50 € Inscrições até 30/09/05. Enviar Inscrições para: Ordem dos Enfermeiros – Secção Regional do Centro Av. Bissaya Barreto n.º 191 Cave 3000-076 Coimbra Telef: 239 487 810 Fax: 239 487 819 E-mail:
srcentro@ordemenfermeiros.pt. ou para Colegio Oficial de Enfermeria de Cáceres – Avda. Isabel de Moctezuma, 4.1005 Cáceres Telf: 927 23 61 45; 927 62 96 29 Fax: 927 23 61 44 E-mail: coecaceres@terra.es


Cheque endossados: Ordem dos Enfermeiros

Apresentação de Trabalhos: Normas de Candidatura

  • São admitidos trabalhos em forma de póster com um tamanho de 70-90 x 100-110 cm, que sejam originais e inéditos e que se enquadrem nas áreas temáticas do encontro.
  • O Envelhecimento Saudável; Envelhecimento- Diagnóstico da Situação, Propriedades, Recursos e Estratégias; Competências dos Enfermeiros no Cuidado ao Idoso; Meios Técnicos de Apoio à PessoaIdosa; Intervenções de Enfermagem com a pessoa Idosa.
  • Os autores dos posters tem de estar inscritos no evento.
  • O envio será em suporte informático, por E-mail ou por correio para as moradas da Organização dos países de origem do candidato.

Data limite do envio: 15 de Setembro de 2005


Título: _______________________________________________
Autores: ____________________________________________
Instituição/Serviço: _________________________________
Morada de Contacto: ______________________________
Código Postal: _______ Telef. / Fax: _______ E-mail: _______